terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

SALMO DE QUEM PÕE AMOR EM TUDO

Feliz quem põe amor nas coisas,
Pois as coisas terão sentido,
Em contrapartida, pobre daquele que lhes retira o amor,
Porque tudo o que fizer se tornará vazio.

Feliz quem faz tudo por amor,
Pois o amor dá cor à vida,
Muda-a e faz com que se veja de outra forma,
Tudo o que é pesado, dificultoso, monótono...
se torna diferente quando o amor marca presença.
Mesmo tudo o que há de penoso nos mandamentos,
se torna completamente suave pelo amor.

Feliz quem se deixa conquistar pelo amor,
porque não há nada tão insensível e tão de ferro
que não possa ser moldado e fundido
pelo fogo do amor.

Feliz, também,
quem enche o pobre com a plenitude do seu amor,
porque a plenitude do amor de Deus
encherá a sua própria pobreza.

Felizes nós
se amarmos de coração a quem nos fez
e aos que connosco foram feitos,
porque amando o próximo a quem vemos,
limpamos os olhos para ver a Deus, a quem não vemos:
pois não há escada mais segura para subir ao amor de Deus,
do que o amor dos homens ao seu semelhante.

Ponhamos, pois, amor em tudo o que fizermos!
Porque as boas obras não se definem pela sua quantidade,
mas pela sua finura;
nem pelo peso, mas pela sua qualidade:
nem pelo quê, mas pelo porquê.

Ponhamos amor em tudo o que fizermos!
Se fizermos a paz, façamo-la por amor
Se nos lamentarmos, lamentemo-nos por amor.
Se corrigirmos, corrijamos por amor,
Se perdoarmos, perdoemos por amor...

Procuremos que o amor crie raízes nas nossas almas,
Pois dessa raiz só pode sair o bem;
Porque quem ama pode fazer o que quiser,
dizer o que quiser e viver como quiser.

(Composição e adaptação de vários pensamentos de Sto. Agostinho)